quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Tuiteiros e suas subclasses




Relutei em entrar no Twitter, primeiro porque ninguém sabia explicar o que era e para que servia. Hoje, usuário assíduo, vejo que tudo o que me falavam sobre o Twitter não tinha nada a ver com o que ele é.

Meus diálogos em torno do assunto eram algo do tipo:

- Mas qual é a graça de um troço que todo mundo escreve até 140 caracteres?
- Ah, é legal, vai entra, entra, entra!
- O Twitter parece ser um Orkut piorado, um MSN 0.2 limitado...
- É bacaaaana, tu é o único jornalista do mundo que não tem Twitter. FAZ LOGO O TEU!

Pensei "por que entrar?", "por que não entrar?" e, depois de um "somebody love", acabei fazendo meu cadastro. Mas o fator decisivo foi uma conversa com o Anderson Jorge (www.bebadogonzo.blogspot.com). "Cara, o Twitter é realmente uma bosta como tu tá achando", disse-me. Orgulhoso por estar certo, resolvi ceder para poder criticar com mais propriedade.

Depois de uns dois meses de uso contínuo desta magnífica ferramenta de microblogging (ui!), pude verificar um padrão de comportamento entre os usuários. Com base em três semanas de intensas pesquisas nas bibliotecas das universidades de Harvard, Yale e Fapan, além de entrevistas com professores de Massachusets, Fabel e Columbia Pictures (?), me sinto em condições de passar a vocês as minhas impressões.

Claro, com a devida vênia de @pedrox, o único que pode falar sobre o Twitter com verdadeira propriedade, já que criador e criatura se confundem. Sei que corro o risco de sofrer uma trovoada de nosso todopoderoso colega por falar o nome do Twitter em vão sem sua expressa autorização, mas ponho minha conta em risco. Espero sobreviver, enfim.


Que tipo de tuiteiro você é?


Já ouviram falar sobre empresas de recursos humanos que usam o Orkut como uma das fontes de informação para seleção de candidatos? Poisé. No mesmo sentido, é possível afirmar que a forma de uma pessoa tuitar fala tudo que se precisa saber sobre sua personalidade.

Psicólogos modernos com pós-doutorado em mídias-eletrônicas-sociais-inúteis são capazes de identificar, com base em três tuitadas, se a pessoa sofreu abuso sexual na infância, seu prato preferido ou a posição em que costuma dormir.

É possível fazer um mapa-astral com base naquilo que você expõe no Twitter. Suas ânsias, vontades, paixões, desejos, frescuras, boiolices, são todas impressas intrinsecamente em cada um dos 140 caracteres digitados em uma gorgeada virtual. Portanto, seu passarinho retardado, cuidado com o que você tuíta!

Confira os perfis mais frequentes identificados pelos psicólogos doutores em mídias-eletrônicas-sociais-inúteis. Importante ressaltar que um tuiteiro pode ter mais de um perfil dos listados abaixo, mas provavelmente um deles irá prevalecer.


Tuiteiro Compulsivo:

Também conhecido como Tuiteiro Narcisista, pode ser comparado ao bêbado no Karaokê, que não larga o microfone. Ele acha que é o único seguido por todos os seus followers. Por isso, se dá ao direito de metralhar caracteres malucamente. Acha que, se ficar duas horas sem tuitar, tem que compensar contando tudo o que fez nesse meio tempo - até o número de pedaços de merda que cagou na sua última visita à privada.

Uma das características do tuiteiro compulsivo é sua enorme capacidade de reunir imenso número de unfollows em poucos segundos. Tal capacidade é normalmente potencializada com uma habilidade acima da média de contar piadas sem graça e - pior - achar que todo mundo tá gostando.

Tuiteiro Vagalume

É o cara que fez seu cadastro no Twitter só por fazer e dá sinal de vida a cada três meses. Como um vagalume, hora aparece; hora some. Provavelmente entrou na onda por insistência dos amigos mas não teve a paciência de usar por uma semana direto, para sacar como a parada funciona. Inclui famosos que querem se passar por moderninhos.

Ele não se deu oportunidade ao vício mas, de vez em quando lembra "rapaz, e o Twitter, como será que tá?", e entra pra dar uma olhada e tuitar qualquer coisa. Normalmente seus únicos followers são outros Tuiteiros Vagalumes, já que pessoas normais não gastam nem meio byte seguindo múmias virtuais.

Tuiteiro Conta-gotas

Muito diferentes dos Vagalumes, os Tuiteiros Conta-gotas costumam passar o dia inteiro online, sempre dando F5 na página do Twitter pra saber o que tá rolando. A diferença é que eles são metidos a sábios e querem ser conhecidos como OS CARAS, que soltam apenas GRANDES PÉROLAS para benefício da humanidade.

Alguns são bem-humorados, outros são rabugentos. Em comum eles têm o ódio mortal a todo Tuiteiro Compulsivo. Para eles, uma tuitada deve ser sempre algo relevante em prol do progresso da comunidade nerd. Por isso, os prolixos deveriam ser banidos do sistema internetal. "Maldita inclusão digital", pensam a respeito dos demais.

Tuiteiro no Divã

É a garotinha que foi chifrada pelo namorado e vai xingá-lo para todo mundo ouvir. É o funcionário que reclama da suvaqueira do patrão. É a dona-de-casa que divide com os outros coisas como as brochada do marido, o filho que cagou-se nas calças de novo, a conta do telefone e o arroz queimando na panela.

Tuiteiro no Divã parte do princípio que seus followers são todos psicólogos pagos e prontos para ouvir suas agrúrias. O Twitter é seu muro das lamentações, seu Poço dos Desejos, seu saco de pancadas, enfim, um útil instrumento para descarga das tensões diárias.


Tuiteiro Reclamão


Não confunda com o do Divã. Nada a ver. O Reclamão não fala de si; ele mete pau nos outros (ai!). Toda música que toca é uma merda. Todo filme da Globo é bosta. "Aliás, Band, SBT, Rede TV e todas do canal fechado é tudo mesma porcaria".

Se o preço do dólar cai, algum dejeto o Governo Federal fez pra defecar nas exportações. Se o preço sobe, o governo cagão tá ferrando com a gente coitada que quer importar eletrônicos. Novela boa era Roque Santeiro e a última partida razoável de futebol da seleção brasileira foi em 1982.

O trabalho tá escroto. O estudo foi ruim. As ruas são engarrafadas e esburacadas. A cidade está perigosa. Tudo uma merda e não há nada de bom. TUDO É MERDA, OUVIU? Tá olhando o que? Seu follower de merda...

Tuiteiro Poeta

Inútil é a gorjeada que não suscita reflexões capazes de mudar dialeticamente a memória histórico-semântica de um povo em construção. Não acham? Nem eu. Mas o Tuiteiro Poeta tem certeza.

Na ânsia de falar bonito, acaba soltando besteiras dignas de um Vade Mecum de pérolas. A questão é que, via de regra, é gente famosa, quase-famosa ou pseudo-famosa que embarca nessa onda. Então, não importa o tamanho do paradoxo tuitado; vai sempre ter mais follower babão batendo palma do que nego dando unfollow. E a fama crescente será o gás para mais poesias semântico-contraditórias.


Tuiteiro Milton-neves

Para esses aqui, o Twitter é mais uma ferramenta para expansão da "alma de seu negócio". Em vez de se limitar a divulgar um blog recém-atualizado, o Tuiteiro Milton-neves vive apontando algum link de propaganda para alguma coisa, incluindo para sua própria vanglória.

Pode ser a festa de formatura da sala da irmã da filha da empregada que trabalha com a vizinha de sua enteada, que tá precisando de uma forcinha; ou até o pedido de uma ajuda para participar de uma promoção em que precisa de muitas indicações de amigos. A verdade é que você já sabe que sua tuitada vai ser pra pedir que você faça alguma coisa que não está nem um pouco afim de fazer - e sequer de ler.

Ainda não tive esse prazer, mas, antropologicamente falando, deve ser interessante seguir um Tuiteiro Milton-neves xiita da Herbalife...

Tuiteiro Caça-follower

Seu sonho é ser visto como uma celebridade do mundo virtual, tipo a @Twitess, que não é $%¨& nenhuma e todo mundo conhece. É mais comum entre adolescentes, ávidos por auto-afirmação.

A ideologia do Caça-follower é seguir todo mundo, na esperança de ser seguido também. Se, dentro de alguns poucos dias, não for seguido, dá unfollow e parte para a próxima.

Em vez de fazer propagandas de sites ou outras chatices, o Caça-follower cria complexas redes de amizades para tráfico de influência. Os followers são vistos como mercadorias. Entre acordos, dois caçadores se compromentem a se citar reciprocamente em um #followfriday para conseguir mais adeptos.

No final das contas, é uma suruba desgraçada de todo mundo se seguindo. O Caça-follower de repente vê sua timeline cheia de tuitadas inúteis, com origem desconhecida. Pelo menos, pode se orgulhar de ter mais de dois mil followers! Rá, morram de inveja!


Vocês conhecem quem se encaixa em algum dos casos? Digam, falem, tuitem, comentem!

13 comentários:

Pedrox disse...

Compulsivo, sim... é nessa categoria que eu me enquadro. Mas falar Pedrox e tuiteiro compulsivo na mesma frase é pleonasmo.

irmamorfina disse...

esse "É bacaaaana, tu é o único jornalista do mundo que não tem Twitter. FAZ LOGO O TEU!" é uma frase minha, certo?

adorei as tuas definições e acho tão engraçado as pessoas que levam essa joça de Twitter a sério, ó.
"uma tuitada inútil é o fim", hahaha!

Giselle Viegas disse...

Eu não consigo me enquadrar em nenhum desses... na realidade... abro, leio, e saio. De vez em qdo tuíto. Não vejo graça, até tentei, mas não consegay. Só serve pra eu analisar a vida alheia psicologicamente. Rá

André Leão disse...

sou o tuitero reclamão. cara, esse teu blog é muito escuro, não parece lá um blog muito claro, tens que ver isso. :)

Filiblog disse...

Pedrox: definitivamente, hoje tu não é mais compulsivo. Mas já foi. Eu lembro. :P

Tu mesma, irmãmufina, que perturbava com o FAZ LOGO O TEUUUUUUUUUU auehaueuheauaeuaeh

E giselle, eu sei quem tu gosta de ficar analisando no twitter, sua xereta!

André: leia o blog com uma lanterna. :D

Anderson Araújo disse...

Filipe, sou aquele que perturbar os outros e fica provocando intrigas e polêmicas inúteis, né, Pedrox?

Tem essa categoria?

Dani Francisco disse...

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
Desculpa, alem do texto estar mto legal (sou vaga-lume com orgulho), dizer q lê o blog com lanterna foi hilário!!! Tu não és normal...

Dani Francisco disse...

Escrevi errado, não me xinga!

Guto Lobato disse...

Entrei nessa bosta a mando da Juliana.

Pelo palavrão acima, deu para entender que faço parte do grupo reclamão.

Nega disse...

Eu sou resistente e ainda não aderi a essa bosta!

chega de cultura inutil em minha vida.

Sem mais.

Noely disse...

essa irmãmufina tb vive me tentando a fazer essa "bosta", mas to fooooraaaa......não tem nenhuma graça e não serve pra NADA

Michy disse...

Eu sou Compulsiva e Divã... Rsss... Adoro teus textos!

Paulinha disse...

Eu acho que sou compulsiva e divã, portanto, não vou reclamar de nada e nem escrever muito...pelo menos dessa vez!

preciso me policiar e falar apenas o indispensável, igual motorista de ônibus! hauhauuha


beijo amilgo faraó