sábado, 26 de março de 2011

Bastidores, presepadas e uma entrevista com Iron Maiden

Mr. Smith na strato

Até os 15 anos, poderia ser confundido com qualquer adolescente roqueiro de Londres. Inclusive quando largou a escola, começou a tocar guitarra e formou uma bandinha com colegas. A mudança começou quando foi convidado para tocar em uma banda que estava no limiar do sucesso global.

Seguido ao estouro, fez milhares de turnês, vendeu milhões de álbuns e passou a ser considerado um dos melhores e mais influentes guitarristas do mundo.

Na sexta-feira, conforme havia se comprometido, pegou o telefone e...

XXX


Até os 15 anos, poderia ser confundido com qualquer outro metido a roqueiro de Belém. Começou a tocar guitarra na adolescência, formando bandinhas com amigos. Chegou a ser considerado o melhor jornalista do quarteirão, do desabitado bairro onde vive às custas do pai.

Na última sexta-feira, conforme o esperado, ouviu o telefone tocar, atendeu e...


- Hello, my name is Filipe and i`m a journalist from Belem
- Oi.
- Hehehehehe oi.


Mr. Che Philips na strato


Foi assim que dois caras com realidades totalmente distintas começaram um diálogo de 12 minutos por telefone. Um estava dentro de uma redação cheia de jornalistas, enquanto que o outro, presumo, estava cercado de mulheres semi-nuas oferecendo um drink naquelas taças que parecem funil, com uma frutinha pendurada. Ao menos assim imagino, embora eu não tenha ouvido sussurros femininos. Talvez porque a mulher estivesse ocupada com ...ah, não me interessa.

Mas, convenhamos, pra quem só tinha entrevistado celebridades do tipo Roberto Jeferson, Mulher Melancia e Jerry Adriani, falar com Adrian Smith, um dos guitarristas da lendária banda de heavy metal Iron Maiden, é uma leve subida de nível. Igualmente incomum foi eu ter entendido 91,2% do que ele falou, sob um inglês britânico com o qual parecia, em vez de expelir, engolir algumas palavras. Por exemplo, a pronúncia dele de "Iron Maiden" era algo do tipo "ao mêdn".

Também me chamou atenção a intensidade do uso de bengalas de linguagem como "é...", "poisé", "então", "tipo..." e "...você sabe...". Chegou até a gagejar uma ou outra hora, pra achar as palavras de forma a ser  melhor entendido. Mas claro, manteve uma distância segura da vergonha que passou o repórter com seu inglês em avançado estágio de oxidação.

Também fiquei decepcionado com o atraso dele, logo um sir britânico. Ligou três minutos depois do combinado. O papo foi rápido, mas até rendeu. Só não deu tempo de eu passar umas dicas de guitarra pra ele. Fica pra próxima.

Só uma observação importante: não fui o único responsável pelo resultado dessa entrevista. Escalada para tal labor, a Andressa Gonçalves me passou a bola porque foi marcado para um horário que ela não podia. Como um bom sanguessuga que sou, aproveitei algumas perguntas que ela já tinha formulado e assumi sozinho os méritos por esse grande feito.

Mas falando sério, agradeço ela por ter confiado em mim para a entrevista e por ter deixado eu aproveitar de um trabalho que ela já tinha feito. Em outras palavras, ela driblou o goleiro e tocou pra mim.

  
Pronto, chega de enrolação. Confiram comigo no replay:



(Publicado em 27.03.11 em O Liberal e no jornal Amazônia)

A expectativa pela chegada da turnê The Final Frontier a Belém domina não só o público, mas também os integrantes do Iron Maiden. Em entrevista pelo telefone, o guitarrista Adrian Smith, 54 anos, demonstrou que a ansiedade pelo show não é exclusiva dos fãs. Ele se disse animado para conhecer o público da cidade, uma das poucas dessa turnê que ainda não foi visitada pela banda.

Quando o assunto é Brasil, integrantes da banda logo lembram as memoráveis apresentações nas três edições brasileiras do Rock In Rio, tema citado com nostalgia por Adrian. Não é à toa que o país é um dos mais privilegiados nessa tour, com seis apresentações da banda; só perde para Alemanha e Austrália, ambos com sete.

Um três guitarristas do Iron Maiden, Adrian é inseparável do vocalista, Bruce Dickinson. Entraram na banda na mesma época, no início da década de 1980, pouco antes de o grupo estourar mundialmente com o álbum Number of The Beast. No início da década de 1990, saíram para lançar dois álbuns solo, e voltaram em 1999. Adrian participou da gravação dos últimos quatro CDs da banda, inclusive o aclamado The Final Frontier, lançado ano passado e base do repertório da atual tour.

Com linguagem coloquial e simpatia, Adrian falou sobre Grammy, o sucesso do novo álbum e lembrou seus tempos de fã da banda Deep Purple.







O Liberal - Você sabia que um grupo de fãs esperou uma fila de 15 horas até que os ingressos começassem a ser vendidos, em novembro?

Adrian Smith - Sério? Isso é espetacular.

O Liberal - Eles queriam ser os primeiros a comprar ingressos.

Adrian Smith - Isso é ótimo! Nunca tocamos em Belém antes, então estamos curiosos para ver. No resto do Brasil as reações, desde que tocamos no Rock In Rio, há 20 anos, têm sido fantásticas. Então, parece que vai ser um bom show, sabe?

O Liberal - Iron Maiden deve ser a maior banda a tocar em Belém. Isso faz o show ficar ainda mais especial para vocês?

Adrian Smith - Sim, é sempre excitante ir aonde você ainda não tinha tocado. Então, é claro que estamos animados. Estamos tocando em muitos lugares nessa turnê e pouquíssimos deles ainda não conhecíamos, e Belém é um deles. Estamos animados com isso.

O Liberal - Porque a banda toca em lugares fora do grande circuito, onde outras grandes bandas não costumam ir, como Indonésia, Cingapura e agora Belém?

Adrian Smith - Eu acho que as coisas estão muito diferentes e mudando rapidamente com a internet. As pessoas têm mais acesso a músicas e bandas. Acho que por isso Iron Maiden se torna mais conhecido. Nós estamos em um avião enorme, o Ed Force One, então somos capazes de chegar a esses lugares. E a gente sempre toca onde a gente sente que deve tocar. Quando surge uma possibilidade de tocar em um lugar diferente, a gente sempre leva em consideração a hipótese. Nós temos meios para ir até lá, nos divertir, então, você sabe, porque não tocar lá?

O Liberal - Em uma entrevista para a revista Roling Stone da Indonésia, Bruce Dickinson (vocalista do Iron Maiden) não pareceu muito empolgado por ter ganhado o Grammy esse ano. Isso não significou nada para a banda?

Adrian Smith - Bem, para ser honesto, eu não sei bem... assistindo a cerimônia do Grammy a gente percebe que é tudo muito “showbusiness”, muito “Hollywood”, enquanto que Iron Maiden está a milhões de quilômetros de distância disso. Preferimos parecer uma banda real, cometemos erros, não somos perfeitos. Eu acho que as pessoas apreciam...(silêncio)... eu quero dizer, nada contra o Grammy, é legal ser reconhecido. Então, é, eu quero dizer, você sabe... por outro lado, muita gente vai dar importância ao Grammy e eu não vejo nada de errado nisso. Se, se, se...se isso faz as pessoas ficarem curiosas sobre a gente, então está ótimo.

O Liberal - Em uma mão vocês têm o Grammy, mas na outra, vocês estão no topo das paradas em 28 países. Imagino que isso signifique mais...


Adrian Smith - Sim, exato. É incrível.

O Liberal - E é o último álbum, e não uma coletânea de músicas antigas, que as pessoas estão ouvindo e adorando. O que isso significa para você?

Adrian Smith - Bem, a gente acha que é importante criar e tocar novas músicas. Pessoalmente, eu acho muito satisfatório escrever algo e ser criativo. Eu imagino que nós poderíamos sair em turnê e tocar nossas músicas antigas, o público provavelmente ficaria bastante feliz. Não queremos isso; queremos criar novas músicas, fazer novos shows e realmente continuar a nos desafiar.

O Liberal - Qual é a principal diferença entre os seus primeiros fãs, dó início da década de 1980, para os atuais, que vão para os shows hoje em dia? Há muitos jovens hoje; eles são diferentes dos jovens que iam aos shows de 30 anos atrás?

Adrian Smith - Bem, os jovens da década de 1980 ficaram mais velhos (risos). É verdade, temos muitos fãs jovens, o que é maravilhoso. Quem me dera que eu soubesse o segredo; eu iria engarrafá-lo e vendê-lo. Eu acho que parte do motivo é porque não há muitas outras bandas fazendo isso.

O Liberal - Por que será?

Adrian Smith - É muito incomum uma banda estar na ativa por tanto tempo quanto Iron Maiden, sabe, e continuar em turnês e manter o ritmo... E, eu acho que um monte de jovenzinhos que vêm aos nossos shows nunca estiveram em uma apresentação de rock antes, nunca viram alguém tocando solos de guitarra e nunca ouviram as melodias. Em muitas bandas que você ouve há uma atitude heavy metal e têm o som pesado, mas se você parar para ouvir nosso som, vai perceber que há muito de melódico.

O Liberal - Mas os fãs de hoje são, em algum aspecto, diferentes daqueles de muitos anos atrás?

Adrian Smith - Não. Eu lembro quando eu era criança e fui ver Deep Purple. Foi muito emocionante ver uma banda de rock e os caras tocando os instrumentos, muito legal. É isso que a juventude quer ver, ao menos é a única coisa que eu posso imaginar que eles possam querer. Com certeza não é pelas nossas aparências.

O Liberal - Vocês foram influenciados por Deep Purple, mas também influenciaram muitas grandes bandas como Dream Theater e Metallica. Como você se sente em relação ao fato de que o primeiro show que eles assistiram, quando jovens, talvez tenha sido o seu e agora eles contam histórias semelhantes à que você contou agora?

Adrian Smith - Pois é, estamos na estrada por um bom tempo, fazendo muitos shows em muitos países, para muita gente, o que acaba influenciando muita gente. Você nunca esquece o primeiro show que viu. Acho que as pessoas pegam essa inspiração para alimentar sua própria criatividade. Isso é ótimo.

O Liberal - Os fãs brasileiros devem estar curiosos de por que o país não vai aparecer no próximo DVD, enquanto que Argentina e Chile foram escolhidos. O que você diria a esses fãs, já que eles podem ter ficado com um pouco de ciúme?

Adrian Smith - Bem, você sabe, nós já fizemos o Rock In Rio e não se pode fazer algo maior do que aquilo.

19 comentários:

Andressa disse...

Curti o resultado da entrevista. pegaste ele no grammy! ;)Agradecida pelos agradecimentos. É sexta-feira, beibe. descerei do salto pra calçar o meu cuturno. \m/

Rafael Faraon disse...

\m/

Cristina F. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cristina F. disse...

Parabéns!
Li a entrevista em O Liberal e achei ótima. Mostrei pra todo mundo.
Obs.: eu NÃO SOU suspeita!

Dani F. Boyd disse...

Gostei, gostei muito!

Filiblog disse...

Andressa: agradicido estou eu. Vamos metalear!

Rafa: suas palavras sao mt profuntas.

Comentário excluído: moderfoquer.

Mãe: mt bom q tu gostou. agora bora pro shou com o rafa!

Dani: brigaduuuu! mas tu nem curte ao mêdn, né? hehhehe

Daniel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Diego disse...

Muito bom Filipe! Ótima entrevista, ótimo resultado!

Sexta-feira é Ao Mêdn!

Renan disse...

caraca, mother fuker, heavy metal uhuu.. pena que nao vou pro show pra ir no do u2, que é meio gay mas é legal.

aueheuah

bacana

Laíse Mara disse...

U2, meio gay??!!!!!!???ora p*$*%**%*$*%*%*!!!!!!
parabéns pela entrevista...mto boa mesmo, mas até com o guitarrista do Iron Maiden tu consegues ser meio enjoado..ehehe..

Anônimo disse...

Hі, i think that і saω you visіted my weblog so і cаme to “return the favor”.
I аm trying to find things to еnhance mу
site!I suppose its οk to use a fеw of your iԁeаs!

!

Looκ into my blοg post :: bad credit payday loans
Also see my web page - bad credit payday loans

Anônimo disse...

I got thіs websіte from my buddy ωho informed me on thе toρic
of this website аnd now this tіme I am visіting
this wеbsіtе and гeading very informative ρostѕ at thіѕ placе.



mу web site ... best payday loans

Anônimo disse...

Aωesomе website yοu hаνe herе but I was curіous about if you knеw οf anу diѕcussion bοards that covеr the ѕame topiсs dіscussеd here?
I'd really like to be a part of group where I can get feed-back from other knowledgeable people that share the same interest. If you have any suggestions, please let me know. Cheers!

Feel free to visit my website ... payday loans online

Anônimo disse...

Ι like thе helрful infо you
provide in yоur aгtіcles.
I'll bookmark your weblog and check again here regularly. I am quite certain I'll leагn many nеw stuff right here!
Βest of luck for thе next!

My web site :: payday loans uk

Anônimo disse...

Whаt i do nοt reаlize is in fact how you
are now not aсtually a lot moгe smartlу-apρreciated than yоu maу
be nοω. You aгe sо intellіgеnt.
You геcognize thus significantly whеn it cоmеs
to this subject, made me in my оpinion іmаgine it from
а lot of numегous angles.
Its like women and men aren't involved unless it is one thing to accomplish with Lady gaga! Your individual stuffs excellent. All the time handle it up!

Feel free to visit my blog post - instant loans
My website - instant loans

Anônimo disse...

Sіmрly wiѕh to say yоur
artіcle iѕ аs ѕuгрrising.
Thе clarity in уour post is simplу cool and i cаn asѕume
уοu're an expert on this subject. Well with your permission allow me to grab your feed to keep updated with forthcoming post. Thanks a million and please keep up the gratifying work.

my site ... payday loans no credit check
my web site > payday loans no credit check

Anônimo disse...

It's actually a nice and useful piece of information. I am happy that you shared this useful information with us. Please stay us informed like this. Thank you for sharing.

Feel free to visit my blog ... payday loans

Anônimo disse...

Link exchange is nothing elsе but it іs
just placing the other person's blog link on your page at suitable place and other person will also do same for you.

my blog :: Property for Sale

Anônimo disse...

Nice ρost. I was сhеcκing cοnѕtаntly this blоg and I'm impressed! Very useful information particularly the last part :) I care for such info much. I was looking for this certain information for a very long time. Thank you and best of luck.

My site - Same Day Payday Loans